8 de março de 2012

Post Début - A Sociedade de Consumo

Já que vamos falar de moda, beleza, compras etc., eu queria, antes de começar, colocar um pouquinho do que eu penso sobre consumo. Com todas essas notícias que vemos todos os dias nos noticiários sobre pobreza, desemprego, crise financeira na Europa, aquecimento global, enfim, assuntos extremamente importantes para a nossa vida, e a gente aqui querendo comprar roupas, sapatos, ter a bolsa do momento, o celular mais avançado. Por que a gente quer tanto TER!? Como equilibrar esse desejo de consumir bens, digamos, supérfluos com as necessidades mais essenciais para a nossa sobrevivência? Essa questão sempre me acompanhou.

Um dia, acabou caindo nas minhas mãos um poema do Carlos Drummond de Andrade chamado Eu Etiqueta. Cada verso do poema fez aumentar ainda mais a minha inquietação sobre essa ânsia da humanidade em adquirir bens materiais que vão além da nossa necessidade básica. O poema é longo, então não vou colocar todo aqui, mas vale à pena a leitura. É só procurar no Google! Olhem só esse trecho:

“É duro andar na moda, ainda que a moda

Seja negar minha identidade,

Trocá-la por mil, açambarcando

Todas as marcas registradas,

Todos os logotipos do mercado.

Com que inocência demito-me de ser

Eu que antes era e me sabia

Tão diverso de outros, tão mim mesmo,

Ser pensante, sentinte e solitário

Com outros seres diversos e conscientes

De sua humana, invencível condição.

Agora sou anúncio

Ora vulgar ora bizarro.”

Então eu decidi fazer minha monografia para a conclusão da faculdade de Jornalismo sobre a Sociedade de Consumo. Com esse trabalho eu poderia saber um pouco de como o consumismo era estudado e visto pelos pesquisadores. E olhem nesse pedacinho do meu texto o que eu descobri:



O valor da produção não está no valor do uso dos objetos, mas sim no valor de sua morte, já que não foram feitos para durar. Assim, surge o termo reciclagem, que é o que melhor define o funcionamento do sistema de consumo. A moda é um ótimo exemplo de reciclagem, porque, como está definido no dicionário Aurélio, “consiste na mudança periódica de estilo”. E, por ter caráter coercitivo, quem não se reciclar a cada nova estação, a cada coleção, não é considerado um verdadeiro cidadão da Sociedade de Consumo. A efemeridade da moda faz com que os consumidores busquem acompanhá-la, mesmo que seja necessário trocar um produto por um novo em um breve espaço de tempo. Isso faz com que as pessoas passem a vida desejando, pois quando se consegue algo, logo surge um novo sonho de consumo, um novo objeto de desejo. Assim, não há uma satisfação completa, ela é apenas instantânea. Quando se adquire um produto, ele acaba logo. É como diz o sociólogo Zygmunt Bauman, em seu livro Globalização – As conseqüências humanas, ao citar Mark C. Taylor e Esa Saarinen: “O desejo não deseja a satisfação. Ao contrário, o desejo deseja o desejo.” E mais ainda: “ Para o consumidor, viajar é melhor do que chegar”.


Bom, o que eu concluí com essa pesquisa é que fazemos parte de um sistema que incentiva o consumismo e é muito difícil fugir dele! Estamos sempre em busca do novo, de algo que nos complete, que nos destaque no meio desses bilhões  de pessoas espalhadas pelo mundo.
 
Mas, se a gente não fizer do consumismo a nossa prioridade, se der para equilibrar os nossos valores, acho que ter sonhos de consumo é até saudável. É uma forma de nos incentivar a trabalhar mais, a querer crescer e evoluir. E não há nada de mal em a gente querer ficar mais bonito e arrumado, né!?

Então é isso! Que comece a diversão!!!

Beijos,
Paty.

2 comentários:

Bruna disse...

Paty, que delîcia o seu blog!
Sou muito fã de sites e revistas de moda (assídua leitora da Lala Rudge, Mariah, Glam, Paulinha, Thassia e outras!) e adorei ter mais um blog para ler!
Quem sabe um dia isso se torna mais que um hobby? Eu tb penso nisso!
Enfim, parabéns pelo novo "filho"!!!
Beijão,
Bruna (Perrone)

Patricia Seraphico disse...

Bruna, querida, que bom que você está gostando!!! Estou fazendo no tempo livre, mas com muito carinho!

Quem sabe ele não acaba virando mais que hobby mesmo, né! A gente nunca sabe o dia de amanhã! heheh..

Muito obrigada pela sua mensagem super fofa!!

Bjoksss,
Paty!!